sábado, 22 de setembro de 2012

Ausência


Fast poetry
(escrito numa manhã de sábado)

Você não está aqui,
não está mais à distância de um sorriso
e sinto-me como uma peça que perdeu-se de seu quebra-cabeça

Você não está aqui,
não está mais à distância de um toque receoso e gentil
e sinto-me como se mãos delicadas houvessem escavado um buraco negro em meu peito
Sinto-me como se as estrelas fossem escorrer por ele

Você não está aqui,
não está mais à distância de palavras doces e sinceras
e sinto-me como se meu coração estivesse mudo

Você não esta aqui,
e sinto-me desnecessário



2 comentários:

  1. Este poema é tão triste, mas ainda assim com imagens tão belas... as estrelas a escorrerm por buracos negros, um quebra-cabeças impossível de se resolver por faltar uma peça.

    No entanto, existe ainda uma esperança. A explosão de uma estrela cria sempre novos astros e quando uma peça se perde pode-se inventar milhares de outras peças, talvez ainda melhores que a anterior. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez um quebra-cabeça de estrelas, cara Nícia.

      Excluir